O que é Business Intelligence na Advocacia 4.0?

Descubra como acrescentar mais assertividade nas tomadas de decisão e estratégias na sua advocacia.

Se você frequenta regularmente o LinkedIn, sabe das tendências em alta ou até mesmo costuma ver as principais oportunidades de atuação do mercado, com certeza você já ouviu falar em Business Intelligence, ou só BI. Mas será que você sabe a fundo do que se trata e da importância dele para sua atuação jurídica? Arranje uma posição confortável e pegue a pipoca porque é isso que vamos explicar nesse conteúdo!

Lembra daquela época em que os achismos da sua liderança ou da equipe eram suficientes para desenvolver estratégias? Ou quando não se tinham comprovações sobre determinadas métricas da empresa e era usado o famoso “feeling”? Quem nunca, né?

Pois então, você também percebeu que falamos essas frases no passado, né? Isso porque o Business Intelligence vem justamente para mudar esse cenário e dar real sentido aos indicadores do negócio. E, se as práticas faladas acima ainda fazem parte do seu presente, está na hora de mudar isso.

Deixa a gente te explicar: em poucas palavras, o Business Intelligence, termo em inglês para Inteligência de Negócios, é um processo que tem como objetivo agregar valor nas tomadas de decisão das empresas, com a real consideração dos dados e informações coletadas. O BI serve para ordenar e mensurar todas as informações e dados disponíveis, para extrair insights importantes. No português claro: é botar os pingos os “is”.

Esse processo se torna super importante no momento em que os dados funcionam quase como uma moeda e são vistos cada vez mais como ferramenta de mitigação de riscos e melhores estratégias. O maior propósito do BI é fazer você se basear em informações sólidas e reais para tomar decisões que façam mais sentido para o seu negócio.

E a implementação do processo tem ajudado grandes organizações, viu? A Fiat, por exemplo, com o objetivo de lançar um carro próximo ao perfil do seu consumidor, utilizou o Business Intelligence para captar e analisar dados coletados dos seguidores de sua rede social. O resultado não poderia ser diferente: o carro serviu como uma luva para seus clientes!

A essa altura, acho que você já deve ter entendido a importância do BI para uma atuação jurídica 4.0, certo? É simples: onde existem tomadas de decisões estratégicas, também deve existir Business Intelligence. Afinal, quem não quer ter em mãos os indicadores certos, baseados em dados reais da sua própria advocacia?

Além da otimização de informações que resultam em boas projeções e escolhas, o BI também coloca sua advocacia ou departamento jurídico à frente dos demais escritórios. Vantagem ótima em tempos de grande apelo tecnológico e competição no mercado. Nada melhor que encher a boca e dizer que sua organização toma atitudes e desenha estratégias através de indicadores reais e consistentes, né?

Dito isto, vamos colocar a mão na massa e implementar processos de BI em seu escritório? Ah, acho que ainda não falei como, né…

Entenda exatamente como implementar Business Intelligence, os benefícios e a aplicação da técnica no mercado jurídico no curso Legal Operations! Nosso nanodegree tem um tópico inteiro destinado às atualizações do BI e como é possível trazer a tecnologia para a gestão jurídica.

Se eu fosse você, não perdia mais tempo e agarrava a chance de transformar seus achismos em mensurações sólidas e eficazes para gestão 4.0!

Acesse o link abaixo e se inscreva em Legal Operations:

Autores

Raíssa Amaral
Copywriter na Future Law